HOME

/

A Companhia / Eduardo Ribeiro

Eduardo Ribeiro

Eduardo Ribeiro

Ator

Nasceu em Lisboa, em 1980. Estreou-se no teatro, em 1997, em D. Juan - adaptação do libreto de Lorenzo da Ponte para a ópera D. Giovanni, de Mozart -, sob a direção de Luís Filipe Bastos, com o grupo de teatro Os Jotas, em que viria a trabalhar peças de Agatha Christie, Sófocles e Eugène Ionesco. No mesmo ano, enquanto estudante de intercâmbio a concluir o ensino secundário, participou em West Side Story, de Jerome Robbins e Arthur Laurents (Barre, Massachusetts, EUA).

Estudou Linguística, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Frequentou o seminário Diante dos Teus Olhos (Artistas Unidos n’A Capital), e teve formação com Tim Crouch (Artistas Unidos, Teatro Taborda), Pedro Marques e João Meireles (Culturgest), Grant Shepherd e Jonathan Weightman (The Lisbon Players), José Peixoto e Elsa Valentim (Teatro dos Aloés), Diogo Tomás (Espaço Evoé), Cristina Cavalinhos e António Borges Correia (Plural Entertainment), João Fiadeiro (C.E.M. | Centro em Movimento, Fórum Dança), João Mota (TNDM II), Rúben Tiago e Tónan Quito (TRUTA, Teatro Maria Matos).

Em 2004, começou a integrar espetáculos dirigidos por A. Branco, como 2.º Esquerdo, Eu, Choque Frontal entre Um Automóvel e Um Carro, Pedra, Papel ou Tesoura?, Histórias a Preto e Cores e Terrorismo.

Entre 2005 e 2008, foi assistente de produção nos Artistas Unidos. Paralelamente, iniciou, em 2006, uma colaboração regular com a companhia The Lisbon Players - em cerca de 20 espetáculos em língua inglesa -, na qual trabalhou textos de William Shakespeare, Thomas Shadwell, Harold Pinter, Eduardo De Filippo, John Godber, Oscar Wilde, Rafaela Lacerda, Sir John Vanbrugh, Alan Ayckbourn, Noël Coward, Lee Hall, etc.

Em 2007, colaborou com a companhia Dramatis Personæ em Chapter Two, de Neil Simon (enc. Miguel Abrantes), participou em Casas, de Miguel Castro Caldas (enc. António Simão), uma produção Teatro a Todos, em 2008, na Sala de Ensaio do CCB, onde figurou, em 2010, no espectáculo Oil Ain’t All, Jr (Teatro Praga).

Na companhia de teatro O Sonho, entre 2008 e 2010, fez os espetáculos O Cavaleiro, de Ruy Pessoa (adaptação livre d’O Cavaleiro da Dinamarca, de Sophia de Mello Breyner Andresen), Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett, e Os Lusíadas de Calções, de Né Campelo, com base n’Os Lusíadas, de Luís Vaz de Camões (enc. Ruy Pessoa).

Em 2011, colaborou com a Avalon Theatre Company em três espetáculos, em inglês, para o público escolar - Little Red Riding Hood, Blackbeard and the Lost Treasure of Skull Island e Murder at the Manor! (autoria e enc. Grant Shepherd).

Em 2012, criou, com Rafaela Lacerda, a estrutura Feltro Preto, tendo participado em Até Amanhã!, de A. Branco (Sociedade de Instrução Guilherme Cossoul), Há dias em que te amo, outros em que não sei o que fazer contigo, de Rafaela Lacerda (Teatro Rápido), e Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente (Auditório Carlos Paredes).

Integrou as curtas-metragens Fechado em Copas, de Bruno Alves (etic_), Respira, de Philip Rylatt e T. F. Vicente (Stopline Films), A Entrega, de Leone Niel (ESTC), O Americano, de Gui Oliveira (Krypton Production), Sleep, de Célia Alturas e O Homem com Chapéu, de Jorge Daniel.

Em televisão, participou nas telenovelas Deixa que Te Leve, Meu Amor, Espírito Indomável, Sedução, Louco Amor, Santa Bárbara e A Única Mulher (2.ª temporada) e nas séries Morangos com Açúcar 8 - Agarra o Teu Futuro, Redenção, Morangos com Açúcar 9 - Segue o Teu Sonho (Plural Entertainment, TVI) e A Família Mata (SP Televisão, SIC) e, ainda, na dobragem de Wallace and Gromit - O Mundo das Invenções, Galileu Galilei, A Família Addams (RTP), Pet Squad: Esquadrão (A)nimal, Transformers - Rescue Bots, As Explicações de Harry (SIC K), Winx Club, Supah Ninjas e Monsuno (Nickelodeon).

ASSISTÊNCIA E TÉCNICO LUZ/SOM